quinta-feira, 16 de agosto de 2007

O Meu Silêncio




Invadindo
o silêncio de mim mesma
escuto o som
do infinito de meus sentimentos
e me perco na sutileza de cada afeto
que recebo ou distribuo...
Encontro sorrisos
que se eternizaram
nos olhos da minha alma
e lágrimas que lavaram
os dissabores do caminho...
Busco formas e cores
e encontro pessoas que
criaram raízes em mim
porque foram plantadas
no meu EU mais profundo...
Vejo luzes:
o brilho de um luar de prata,
e de estrelas incontáveis
e um raio de sol que ilumina
cada amanhecer da minha vida.

Rosangela Colares

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Destino desconhecido





Muitas vezes ultrapasso
Os bandoleiros piratas
Sempre navego por perto
Das rochas que circundam o perigo
Tive que desligar os motores
Para ir ao longo das costas do inimigo
Sob meia vela avançando a noite
O silêncio das armas senti medo.
Eu larguei a âncora, belas praias,
Conquistei novas amizades.
Ao percorrer pelo o mar
Muitas vezes pensei em parar
Observar os danos e
Costurar uma por uma das velas
Veio a tempestade e parte do navio partiu
Os marinheiros em manifestação de raiva
Longe da terra,
O céu cuspia raiva no ar
Acalma-te tripulação em revolta
Cheguei a um belo atol.
Lá, coloquei minha bagagem.
Maravilhosa baía, fim de jornada!


Rosangela Colares