quarta-feira, 31 de maio de 2017

Resgate e de Restauração.





O livro de Rute tem a grande apelação universal. Na superfície, é a história de uma mulher virtuosa. Mulher nova que saiu de sua família e de sua nação para moldar sua vida com um povo de uma religião que não conhecia previamente. Seu pensamento era puro, o caráter nobre no comportamento.
Ganha o papel de progenitora de uma dinastia real.
É impressionante a sua dignidade e o seu comportamento refinado, extraído da sua pureza e a força de sua fé.
A história de Rute nos deixa com a impressão de otimismo, a esperança, confiança é um sentimento de realização.
Há, entretanto, muito mais de Rute para conhecermos porque ela é uma história de resgate e de restauração.
É precisamente este elemento que traz em nossos pensamentos as emoções e os sentimentos mais profundos e que nos faz despertar o sentido da identificação e relevância a nossas próprias vidas individuais e pessoais, a nossos próprios esforços com distanciamento e desespero, ao nosso próprio desejo e a busca para a restauração.
Nós, como Rute, às vezes estamos longe de nossa terra natal, mas acreditamos em um porvir de vitórias. Como ela, nós às vezes estamos longe para retornar à terra prometida, muitas vezes em determinados momentos, achamos que não vamos conseguir.
A história de Rute ensina-nos que aquele resgate deve ocorrer dentro de uma família, de uma comunidade, e de uma nação.
Muitas vezes precisamos de um consolo, um conforto, mas não encontramos quem o faça, e geralmente no momento em que mais precisamos, somos esquecidos.
Nós naturalmente somos formados por nossa família, e identidades nacional e cultural. Estas são limitações pessoais, mas nós podemos aproximá-las e juntá-las com outras.
Rute transformou o antepassado dos reis; porque deu a bondade e a devoção à outra nação.
Naquele momento ela não fora somente a Moabita, mas também uma Judia; não deixou uma sociedade para atrás, mas se preocupou em juntar, em unir-se, e por isso alcançou o livramento, a salvação é a bondade.
“Este pergaminho não contém leis de pureza ou impureza, nem o que é permitido ou proibido. Por que se escreveu? Para ensinar a recompensa daqueles que tratam amavelmente os outros.” Rute, como nós dissemos, é uma história exemplar de resgate; entretanto, é uma história complexa, dentro do que podem ser discernidos três ciclos interconectados.

O primeiro é a semente de Elimeleque que retorna ao seu povo. E seus filhos saíram de sua nação, mas sua viúva, a nora e sua geração retornam.
O segundo círculo é o retorno da filha de Ló a sua posição legal na família de Abraão. A família de Ló desceu na licenciosidade e na carnalidade (ver o Gênesis 19). Assim, separou-se do destino messiânico de Abraão para a humanidade. Com Ruth a aliança messiânica retorna para Davi que seria seu bisneto. Este retorno, como todos os retornos, não era esforço fácil. Os traços de sua herança Moabita(amaldiçoada) eram como tropeço para Davi e Salomão.
Sua missão como uma atalaia era quebrar completamente a maldição que Ló gerou em um ato irresponsável, tomado pela bebida; com suas filhas, cometendo um incesto.
O Terceiro ciclo: Salomão casou com muitas esposas e ficou longe da vontade de Hashem (Hashem, do hebraico O Nome. É uma forma para designar Deus, no judaísmo, visto que o verdadeiro Nome de Deus YHWH, foi perdido após a Segunda Destruição do Templo, o de Salomão).
O desejo sexual de Ló, que gerou a geração de Moabe destruiu as vidas de outros descendentes de Davi: Adonias, Amon, e Absalão.
Davi ele mesmo foi testado nas experimentações de Mical, de Abigail e, naturalmente, de Bate-Seba. Sabendo da historia, nós podemos apreciar seu sucesso final em superar uma tentação ainda maior. Outra lição que este livro nos ensina, a sua existência requer a separação.
_________________________________
Noemi beija Rute e foi com ela a seu futuro, mas Orfa beijou-a e voltou para o seu passado.
Aquela que voltou se transformou outra vez na filha do Ló. Cem homens impregnaram-na e dessa semente veio Golias que enfrentou Davi em cima do campo fatal da batalha. “Temos na história um exemplo negativo e outro exemplo positivo de amor”: Orfa é um exemplo do amor negativo: (representa o amor deste mundo) O amor do mundo busca o seu próprio interesse. Orfa pensou em si mesmo e partiu para buscar o seu interesse e seu bem-estar. Orfa era “insegura e abandonou Noemi na hora em que ela mais precisava”.
Rute é o exemplo do amor positivo: (representa o amor de Deus): O verdadeiro amor: “paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. (ICO 13: 4-7). Rute amava Noemi com um profundo amor, a ponto de renunciar a sua liberdade e decidir viver ao seu lado até a morte, independente da situação que poderiam passar. Ela abriu mão dos seus próprios interesses para buscar o bem-estar da sua companheira.
Quando realizamos casamentos aqui, essa é a passagem que usamos para profetizar, abençoar os casais, em sua fidelidade no seu relacionamento. Nós enfrentamos as escolhas diárias de nossas vidas e estas escolhas têm consequências. Nós recuperamos e nos redimimos, mas nós também devemos rejeitar; este não é um processo fácil e há muitas armadilhas.
Nenhuma quantidade de auxílio Divino pode permitir que nós escapássemos do dever para enfrentar a verdade que nós já sabemos, mas o coração diz: não para a mente. Para o raciocínio.
Antes da salvação, vem a separação de bom o do mal, o diabólico, daquele que deve ser resgatado, daquele que deve, possivelmente passará pelo o processo de sentir-se rejeitado e abandonado.
A redenção Messiânica para Davi, que está no apoio da história. Até mesmo para os judeus que praticam a cabala, ensinam que as três sílabas de Adam (em inglês) estão para os três estágios da história humana. A para Adam, D para Davi e M para o Messias. O livramento de Rute é assim uma parábola para o panorama inteiro da história humana e este elemento não esta longe da superfície deste livro. Já perceberam a importância do papel dessa mulher, para o resgate de todos nós, até mesmo gentios?
Eu espero que você ouvinte e seguidor da palavra de Deus que é fiel e verdadeira mergulhem nas águas dessa fonte que não faz acepção, mas que alimenta nosso espírito e transformam homem e mulher feitos a imagem e semelhança de Deus. Em verdadeiras atalaias para o cumprimento das suas promessas. Espero que enquanto tento redigir estas águas profundas e vivas, virei ser impressa pela sabedoria e pela honradez do mestre Jesus, através do seu Santo Espírito. Transmitindo-lhes a verdade que liberta e transforma pensamentos, decisões, atitude e escolhas, e que tenhamos a sabedoria, humildade, o amor positivo, que superabunda na verdadeira graça, e nos faz cumprir fielmente com a missão cabida á cada um de nós pelo o Rabi, o mestre Jesus. Sem acepção, sendo libertos e não escravos da tradição do homem, ou das leis exercidas pelos os mesmo, e para que, libertos de tais sentimentos possamos viver e conviver com o ide do nosso senhor Jesus Cristo, na paz!
No amor de Cristo

Pastora Rosangela Colares

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Só se vê o bem com o coração!

Seja Bem Vindo!

Poesia para as mães de Bráulio Bessa

Vixe...
O cabra pode escolher muita coisa nessa vida...
Ser artilheiro ou goleiro,
pedalar ou correr,
Inté o sabor das coisas a gente pode escolher!
Mas a coisa mais joiada, mais preciosa,
mais arretada da vida da gente,
Simplesmente não se escolhe...
A MÃE!
Ela que é um pedacim de Deus no mêi do mundo,
Um tantim assim de bravura,
e um tantão assim de ternura.
Mãe é doce feito mel de rapadura,
macia feito algodão,
cheirosa feito milho na fogueira
numa noite de São João.
Mãe é pura perfeição,
não tem pra que escolher.
E mesmo assim,
se eu tivesse a graça desse poder,
de todas as mães do mundo,
teria escolhido você!"