quinta-feira, 17 de novembro de 2011

요요 Coroa de Gloria 요요

Semeia o bem e você apanhará loureiros
A vida e como uma folha que nasce
Mas depende do caule, que depende da raiz
Que depende do solo, que depende da água
Que depende do homem. Para que dê doces frutos
A arvore bem regada será como uma coroa para ti
Oh! Jardineiro.
Assim é o amor ágape, Eros e fhilo
Sem rancores com teus amores
Que dão mais, os que dão menos e os que nada dão
Na estrada da vida, e do amor siga seu professor
Mas saiba; você será o que quer ser
Remova as dúvidas e não desperdice as modéstias
Não minto, simplesmente sinto e quando sinto; falo.
Eu e meus sentires...

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

“nova-mente” ”nova-vida”

Escorrego nos molhados paralelepípedos das minhas lágrimas,
meu coração esta batendo numa terra com vida.
Deitada na calçada antiga da vida eu olho para o cinza abaixo do meu corpo.
Eu não sei se os meus sussurros caíram no chão ou se você me ouve, diga-me se me ouve.
Escutei o grito de sua emoção.
As lágrimas falam de seus encantos que tem deixado vestígios, mesmo sendo só em sonhos.
Levanto o rosto para o céu e vejo nuvens escuras,
meus olhos estão além do muro do esquecimento.
Não sei o que trazer para o horizonte da minha vida,
a memória de uma imagem ou um reflexo sem rosto. Os lábios se separam numa noite de brisa e minha alma estremece sob a carícia do teu encanto.
Meu suspiro e sussurro abraçaram o teu desejo,
sinto a respiração e ouço a sua voz.
Oh! Minhas lágrimas misturam com a chuva nessa antiga rua.
As ondas quebram sobre as cinzas da saudade e
levam-me com elas até ao topo do céu,
vi meu coração quebrado pela a queda da sua voz.
A minha alma estava perdida no labirinto da morte. Chega a aurora e escuto o grito: “nova-mente” ”nova-vida”.
.

Rosangela Colares.
03/11/2011

O meu coração desfalece




Quando o sol dorme nebuloso
Digitalizo no lado oeste do coração
A nossa historia de amor com
Sua presença na esteira do acaso


Um gancho que aparece no mar que construo
Chega a madrugada de um passado escuro
Cega meus sentidos, o efêmero
Com miragens, o véu de uma mulher


Que morreu em um amargo naufrágio
Sufocada pelas cobranças, matando o brilho
Do seu eu poético do oceano do seu amor
Pulando ao abismo para acorrentar as neuroses


As suas cadeias tecem uma marcha nupcial
Para a morte que não quer morrer
Quando o sol se põe, eu sonho
E meu coração desfalece


Rosangela Colares 04/11/2011

sábado, 18 de junho de 2011





Rosangela


Gosto de estar com você... porque se me uno as rosas aspiro o seu perfumeE entro em sintonia com elas, numa tentativa de tornar-me rosa também...Gosto da sensação de sentir-me rosa com você!(Rosangela Colares)

quinta-feira, 16 de junho de 2011

O amor do Eterno é de eternidade a eternidade( Rosangela Colares)



Sessão Primavera
Meia-noite
Nenhum som lá de fora.
A lua perdeu sua lembrança?
Ela está rindo (ou chorando) sozinha...
Não é primavera? Porque confundes com outono.
As folhas secas juntam-se aos meus pés
E o vento começa a prantear...
E eu estou também a chorar

Saudade...






Vencendo desafios


Se alguma vez eu penso em desistir
há uma voz que diz: não desanime,
se continuas, logo se define
uma vitória certa no porvir.

A experiência da vida nos previne
que há necessidade de insistir
nos caminhos que estamos a seguir
mesmo que aos obstáculos se abomine

Os desafios à vida dão sabor
conquanto de momento sejam maus
são para o crescimento quais degraus


Movidos pela fé e pelo amor
não temeremos pedras na estrada
e vamos completar nossa jornada

Rosangela Colares



click to comment

sábado, 4 de junho de 2011

A amizade é uma jóia tão rara que só o coração pode servir como pano de fundo.

A amizade é uma jóia tão rara que só o coração pode servir como pano de fundo.(Rosangela Colares)


 





Você está se movendo como areia, e eu sou o mar.
A chuva que cai nas minhas colinas
Meu amor dourado que adere seus fluidos
Esperança crescente, agarrada aos meus cílios.

Você é a fonte das estrofes que arquivo
HOMEM entre os homens, que meu coração elegeu.
Quem sabe como alterar minhas lágrimas de alegria
Você é a estrada real para meus olhos fechados.

E então...

Rosangela Colares

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Apenas lembranças





Há um lamento, a tinta ainda esta na palma das minhas mãos...
Um pedaço de papel, uma nota escrita com a suavidade dos meus dedos. Com as mãos trêmulas.
Estávamos em nosso jardim, lugar de costume. Você sentado no banco, ali guardado tantos segredos, dos seus olhos aproximava-se a luz de um último esforço. A luz era pouca, um reflexo de tristeza profunda envolto na janela da alma. Fiquei lá nas bordas do mar batido por teus cílios, as pálpebras rolando nas ondas da sua alma. Uma espuma que veio picotar a superfície dos sentimentos, vivo naquelas poucas lágrimas que encalhou neste pedaço de página arrancada, onde você tinha escrito algumas palavras. Se um dia eu vim e cai no seu oceano, você também se afogou no meu.
Me lembro do silêncio, o silêncio dos nossos pensamentos voando sobre o outro, um segundo de vibrações em meu coração ecoando no seu. O tempo passou sem ser capaz de responder, incapaz de falar, minha boca e minha alma estavam secas pelas ondas de uma dor constante e insegurança. Minhas palavras foram abafadas pela violência dos teus gestos que também ficaram endurecidas pela tinta no fragmento daquela página. Uma etapa que foi correndo com medo, medo de uma realidade que foi se queimando. Neste silêncio, fixo meus olhos nas cascatas do meu coração. Como um rio tentando superar todos os obstáculos, o rolar das minhas lágrimas faz furos com cada batida silenciosa. Chorei por tudo que compartilhamos. O sopro das palavras que você criou e achava que apenas eu sabia estavam como uma chuva de pérolas ecoando em meus pensamentos. A frase de consolo com um carinho que uma criança precisa ouvir para dar luz em seus olhos e brilhar nos seus lábios fazendo um sorriso renascer. No seu caloroso abraço meu coração se acalmou, meus olhos subiram a superfície podendo ver novamente as estrelas do céu pontilhando meus/seus olhos. Suas mãos acariciando meu rosto com um toque reconfortante, teus lábios ao encontro dos meus buscando o doce néctar sabor do amor. Um toque, um beijo, um amor que só você sabia buscar conquistar com sua persistência.
Acordei para a vida, pensei que era uma etapa perdida, por já estar no abismo do medo, achei que seria como jogar um rio no oceano.
Você incendiou a margem da minha angustia com o seu forte desejo como um farol para a memória eterna.
Passamos mais um momento juntos criamos uma nova realidade formada pela a experiência da separação que você me fez tomar consciência.
Sempre o nosso amor foi como uma frágil embarcação em que estávamos navegando ao longo do tempo, sobre os nossos medos.
Eu ainda com o pedaço de papel, uma nota escrita com a suavidade dos meus dedos. Agora as mãos mais trêmulas ainda com a onda das tuas palavras que nunca parei de ouvir e escrever.
Mas que hoje são apenas lembranças.


Rosangela Colares
17/11/2011



quarta-feira, 4 de maio de 2011

POESIA - TONALIDADE MÁGICA




POESIA - TONALIDADE MÁGICA

Knoc, knoc, knoc, elas estão batendo nas telhas
Uma palavra depois outra responde a chamada
Na folha corrida em arquivo único, [às palavras].

Cada cor tem lugar na paleta da vida
Triste ou feliz, todas são essenciais.
Estão prontas para lançar-se ao seu céu, nesse desafio. Arco-íris.
Hoje não quero falar de outras cores

Limito-me a falar na cor da poesia...
De rendas finas vestidas com a cor do amor
Paixão sol vermelho e amarelo estão cortejando
Com tonalidades mágicas do alvorecer...

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Meu tesouro oculto





Eu procuro a luz transiente
A Lua uma estrela sentimental
Que brilha, apesar de sua ausência
[O eco da tua voz preenche todos os meus silêncios]


Meus sonhos não possuem janelas para o teu mundo
Nem na minha pena um olhar nos tons do teu céu
Se você não estiver relacionado a minha lua fecunda
Quando  a tinta fluir para encontrar o reflexo dos seus olhos


Eu procuro o sopro de sua boca
Na doçura da minha boca
Véu de seus desejos em minhas orações,
Quem vai me levar para as suas fronteiras?


Minhas palavras não tem graça sem o talento de suas linhas
Nem as minhas linhas sem o cheiro de suas noites
Se você não me ensinar a linguagem dos sinais
A distancia chega em nossas almas de noite


Eu procuro sua voz evanescente
Que vibra em mim, verve deslumbrante
Que me diz para acreditar que ainda há um amanhã
E que capta meus pensamentos


O meu amor nasce com nobreza
Do meu coração quero que ecoe as melhores canções
(Se voce não me mostrar gestos de carinho)
A paixão escorrerá pelos meus pés que agora estão pendurados na janela, frente à lua.


Eu procuro a luz transiente
A lua uma estrela sentimental
Que brilha, apesar de sua ausência
[O eco da tua voz preenche todos os meus silêncios]

Rosangela Colares

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Poesia em sussurros






Em sua ausência
Eu tenho usado a primavera como cúmplice
Nos meus sonhos eu coloco o sol
Vi você dançando na borda da minha pálpebra
Na esquina de uma estrela circumpolar
Nesse mundo eu estava só
Eu limpei a chuva
Meu corpo refloresceu
Deixe-me beber a imaginação
Era um paraíso só meu
Minha poesia em emoções sussurradas
Na porta da minha alma
Com uma fragrância de macadâmia
Na prateleira do meu coração
O horizonte do nosso jardim.
E quando o sol amadurece o fogo
Fico febril
Oscilando em torno dos meus sentires..


Rosangela Colares



quarta-feira, 13 de abril de 2011

Nossa aliança!

O sujeito poético não é o "poeta".




Meu amado respirava com sofreguidão e minha alma gemia de dor maduramente comovida. Sabíamos que o que experimentávamos era a consolidação do amor, que, após longa tormenta, se assenta soberano no fundo dos mares da alma, para sempre.
E assim estávamos. Começou a chegar um vento suave trazendo uma chuva especial de modo sereno, fino, leve e esperançoso. E já bastante molhada pela chuva que caía como um oportuno momento batismal, com a voz fraca e trêmula de paixão, disse:
Eu vou amá-lo para sempre. Mas aqui me despeço, embora não me des-peça. Viveria tudo outra vez! Mas este é seu mundo. E em certos mundos precisa-se entrar na hora certa, ou então nossa presença neles muda o centro de gravidade das almas e tudo vêm abaixo. É por amor a você que digo aDeus.
Chorei em silêncio, as lágrimas eram de indizível dor.
Nenhum outro homem tocará meu corpo, para sempre. Esperarei por você até que a morte morra e deixe de ser o que sempre foi, com a face inundada de lágrimas grossas e profundas, que também lhe escorriam pela sua alma, fertilizando-lhe o ser com a força sutil de uma consoladora ternura.
Nunca mais serei completamente feliz. Em qualquer mundo em que eu esteja ficarei sempre de pé, sem ter onde me sentar. Carregarei seu amor em mim eternamente, quase sem conseguir falar.
Não esqueça a fruta doce que acalma, ela é a nossa aliança para sempre.

(poema em homenagem ao Reverendo Caio Fabio, meu amigo/irmão e colega eclesiástico.
Inspiração em cima do seu livro "Nephilim").

Tesouro Escondido





Na magia do ar
Conectando o céu e a terra
Flui uma ponte multicolorida, como símbolo de uma oração.
No final um [tesouro escondido], pelo pudor.
Visão instantânea, refletindo uma ilusão.
Nasceu como uma borboleta de sete cores
Meu coração sorri como anjos no paraíso.
De repente:


Cai uma gota de chuva!

Orquestra poética

Músico da minha poesia, a beleza dessas pinturas. As notas de amor interligadas, povoada. Em um mundo maravilhoso, de belas aventuras. De minha varinha branca, pintando a liberdade! Tela tão fina e delicada como a vida humana, Ouço a campainha sacudindo Um festival de artes performativas vindo da veia Amor, floresta de juncos delirantes! Uma deliciosa espuma mesmo que emerge Entendimento em jatos que colidem ouro e prata. Quebras de amargas gotas, em abundância. Na fase cromática, um mensageiro, um toque. O champanhe em flautas como um algodão Um olhar penetrante como o fogo divino, Um guache ardente exposta, adequada. Um fervor, a volúpia de sua essência, finalmente! O prazer requintado. A elegância altiva, E o artista verniz, com seu bonito brilho. Brota uma imagem no espelho, uma primavera quente. Com música e uma lente virada pra cima. Rosangela Colares

terça-feira, 29 de março de 2011

AMIGO





Eu sei que hoje algumas distâncias estão presentes entre nós, resultado de nossas próprias decisões. Porém, nada muda o passado, e muitas coisas do que eu lembro da gente, estão gravadas em mim. O exemplo, a seriedade, a lealdade, o respeito um pelo o outro. Sim, tudo isso. Não quero deixar com que situações paralelas apaguem amizades eternas. Por isso, quero convidar você a ser meu amigo, novamente. Eu sei que na minha trajetória poética tem lágrimas suas, palavras suas, dedicações e esforços seus. Por tudo isso e muito mais, não quero que decisões e situações apaguem e desvinculem um carinho eterno!... "O amor tudo espera, tudo crê e tudo suporta!"...

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Rosadosanjos

Eu sou Rosangela a rosa dos anjos.
Onde estão minhas asas?
Agora, neste momento, que tão necessárias são!
Quero voar e não sei como.
Apetece-me o vasto silêncio.
No silêncio Deus fala.
Quero lançar-me no céu.
Desvanecer no horizonte.
Quero Voar.
Jesus, seu fio de luz é a consistência de toda a minha vida.
Estamos tecendo meus sonhos que teus também são
Aparece-me um lugar que conheço e
Retorno para o paraíso.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Quando caem todos os sonhos



Quando caem todos os sonhos,
e só resta á recordação do que poderia ter sido e não foi,
não vale a pena procurar o que já não existe, que talvez nunca existiu.
O que vale mesmo, é não esquecer que há sempre, um amanhã por despontar.
Cada dia... uma nova descoberta e outros sonhos virão.
Essa lagrima que desliza,não a sinto, tem um sabor salgado,
que deixa marcas na boca.Imagino que é linfa que brotou;
e se transformará em cristais, ou uma pérola; que se perdeu ao cair
pelo meu rosto.
Seco a lágrima, espreito o sol que nasce trazendo um novo dia...
Viver cada dia, cada momento, cada gesto, como se fosse o último;
de muitos outros que virão.
Esqueço essa lágrima...
Como se de um sonho mau se tratasse...
Como o virar de uma página, de um livro que não li...
Ou de um filme que não vi e não sei o seu desfecho.
Não existe mais...
Só uma doce lembrança daquilo que não foi...
E que poderia ter sido.

(Vinicius de Moraes)

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Em algum lugar do passado


   Em algum lugar do passado

Quando eu mais precisei, lá estava você para me ouvir...
Quando eu estava no fundo do poço, jogou uma corda de palavras
Emendadas em poemas e sonetos eruditos,
Nos quais me agarrei com tamanha força, que quase o derrubei...

Mas bastou ver o meu rosto, já na luz do dia, saindo da penumbra,
Que soltou as palavras e jogou-as em outro canto, quem sabe, em outro poço...
Nem me esperou sair...
E agora não estou nem fora nem dentro... Mas no meio do caminho.

Então, enquanto não aparece mais alguém para jogar-me outro poema feito corda,
Passo o meu tempo a olhar, pelo foco redondo, o céu azul e limpo, feito binóculo
E a ver refletido na água que existe no fundo, todo o azul do infinito,
Imaginando que um dia sairei deste lugar e encontrarei um mundo bonito,
Onde as palavras não fogem, não mudam de dono, não me deixam em abandono.

Espero que esse dia não demore muito e o meu rosto não perca as suas linhas,
Espero que a poesia não seque quando a água do poço acabar...
Quem sabe um dia, passe por mim e se lembre que deixou algo inacabado
E também se arrependa por ter-me descompensado!

   Os versos, fiéis companheiros,  não me abandonam,
São eles que me consolam nos momentos difíceis.





Rosangela Colares 17/11/2011


segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Aprendi a sorrir





><((((º> Para meus amigos <°))))><

"Bem-me-quer

A palavra afaga o coração do outro;
Sílaba é sonho que não tem fim.
Se me quer, use frases, letras, fábulas, pétalas, Código Morse
Se nada diz,ai de mim..."


Amo contemplar o Mar... E aproveito pra meditar.
Não sei como foi seu dia...
Espero que tenha sido produtivo e agradável,
afinal,quantas barreiras enfrentamos.
Barreiras visíveis e invisíveis, não é?
Mas a vida, também nos oferece um banquete a cada dia.



Espero que você tenha experimentado algo "doce" hoje.
Bem...agora, relaxe e sinta a sensação boa do dever cumprido.
Hoje foi dia de beleza. Fui andar na praia durante o dia. Amei.

Saí para o jardim agora e meus olhos se extasiaram com o que vi.

Isso foi um presente, pra compensar algumas "adversidades".
Não sei aí onde você está, mas aqui...
Tem uma lua exuberante, linda demais.

Deixe que seu brilho ilumine sua alma, e que nesse momento se renove suas esperanças de que amanhã tudo será ainda melhor.
Aprendi a sorrir, mesmo que haja problemas, faça assim também você saberá driblá-los. Hoje vou dormir olhando pra ela.
A lua me encanta completamente. Assim como tudo o que Deus fez, para que não esqueçamos a imensidão do seu amor por nós.


Rosangela Colares

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

A canção eterna da vida






A canção eterna da vida


A vida é uma viagem ao som da música
Por vezes espiritual e nua
Por vezes um silêncio atordoado,
Um enigma insolúvel e também um êxtase
Aguçada por nossos desejos imagens esculpidas
A aurora de um monte de paisagens!

Um dos meus desenhos, como pérola de borda amarela
Meu deserto é preenchido com água de rosas.
Entre gritos, buscando o destino do amor

E a temperança desarticula loucuras
A luz do amor no sonho de areia de cristais
Com um olhar de alegria enobrecida

E por fim
A PAZ com JESUS



Rosangela Colares

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Esse jardim, essa árvore






Na emoção do ar com doce maneiras
Na languidez do meu despertar sem desgastes
Nada de içar as velas sublimando
As fronteiras de uma música tranqüila e carinhosa...

Neste universo sempre existe uma escola
A vida com o tempo nos ensina como
Enfrentar determinadas situações, e tão frágeis são
Encarar uma sutil confissão que não compreendo

Uma confissão que tornou um momento mágico me fez buscar
Uma luz, um filamento na Bíblia
No entreabrir de uma página sagrada, me fez tremer nas emoções caladas
Coloco a maldita sombra de sensualidade em cativeiro

Uma sensível declaração .....................
Deixando-me desajeitada, olhando aquelas palavras
Caindo como uma cortina em um tom temporariamente sublime
Pensando em estender a mão para a árvore, mas...

Esse jardim, essa árvore esta fora de alcance da maledicência!




“Bendito o varão que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor. Porque é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto.” (Jr. 17.7-8.)

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

ANTOLOGIA - "Trago-te um sonho nas mãos" projeto da poetisa Vóny Ferreira





Minha humilde participação EM DEZEMBRO DE 2009!

SOMOS UM, UM SOMOS - Rosangela Colares
COMO PEQUENOS ANJOS - Rosangela Colares


(•ิ.•ั) Somos Um, Um Somos (•ิ.•ั)

Chegou à hora!
A voz do amor prevalecer.
Quem esta disposto a ouvir?
O mundo precisa se UNIR.
Quantos estão morrendo, por falta de pão.
O AMOR é o maior presente que podemos dar
Aos que estão ao nosso alcance, afinal é o nosso próximo.
A família de poetas alertas anseia doar amor, sua inspiração.
Sabemos que alguma criança em algum lugar irá receber
O coração bate de uma alegria que não sabemos explicar
De tão imensa e profunda em ver realizar um sonho
SONHO DE POETAS.
O mundo é você, sou eu, hoje ele brilha com maior intensidade.
A força do Amor traz luz pra alcançar uma realidade
Porque um pouco de DEUS está em cada um de nós
Deixamos com as letras parte do nosso coração
Para que saibam: amamos vocês crianças.
SOMOS UM, UM SOMOS
Na hora de dar a mão com o pão.


___________________________________


COMO PEQUENOS ANJOS

Devia tratar bem toda criança
São pequenas, meigas e sensíveis
São delicadamente irresistíveis
Se vivem com amor e confiança.

Como pequenos anjos, iluminam
Transformam nossas vidas nos anima
Faz o dia alegre quando suave cantam
Uma música leve, a alma aproxima


Quem dera pudéssemos eternamente
Carregar essa aura angelical e pueril
Viveríamos mais libertos, certamente.

Assim o mundo se tornaria melhor
E tudo na vida ficaria bem mais sutil,
Quiçá o mal não estaria ao nosso redor

sábado, 8 de janeiro de 2011

보요Preciso de tempo! 요보




Ainda não tive tempo
de oferecer meu sorriso mais bonito
e nem a oportunidade de mostrar,
de todas as formas,
o tamanho do amor que sinto por você
O tempo passou e eu não vi,
mas vejo agora, as marcas
que ele deixou em mim
e essa vontade maluca de quero mais...


Ainda não consegui colocar
nas palavras que lhe disse
os versos de amor que fiz para você
porque as palavras ditas
foram pequenas e poucas
para um amor tão grande como o meu
Preciso de tempo...


mais tempo ainda, para ficar com você
E todos os dias que eu viver
ao seu lado, terão pouco tempo
porque o tempo deles é finito
e o meu amor infinito não cabe nele...
Preciso de tempo!


Rosangela Colares