sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Confissão!





Confissão
Lindos Grãos da areia dourada 
Me rastejo por ela, e escrevo
O que está oculto em minha alma
As palavras escorrem por meus dedos
Lentamente vem a onda e as levam
 
Tome este beijo sobre a fronte! 
E nessa despedida, eu confesso:
Você não está errado,consideremos 
Que seus dias têm sido um sonho; 
Esperou que voasse contigo
 
Em uma noite, ou em um dia, 
Em uma visão, ou somente em um sonho, 
É portanto um desejo, ou um sonho? 
Quem não sonha, quem não deseja?
Mesmo que seja o impossível
 
Rosangela Colares




Confissão
Uma confissão que tornou um momento mágico me fez buscar
Uma luz, um filamento na Bíblia
No entreabrir de uma página sagrada, me fez tremer nas emoções caladas
Coloco a maldita sombra de sensualidade em cativeiro
Uma sensível declaração .....................
Deixando-me desajeitada, olhando aquelas palavras
Caindo como uma cortina em um tom temporariamente sublime
Pensando em estender a mão para a árvore, mas...
Esse jardim, essa árvore esta fora de alcance da maledicência!
Rosangela Colares


Confissão
Sob o véu da pesada e grande confissão
Confesso a você, senhor... tudo é confusão.
Essa é a enormidade dos meus sentimentos
Um sonho que eu humildemente acaricio...
Tecido iridescente, gostaria inverter.
Sou sempre dedicada... Sempre
Se eu sorrio ao vento, fico feliz
Neste ritmo ideal que às vezes é fatal
Penso em você com freqüência...
Ao ritmo dos dias, o vento,
Confesso que eu te adoro e sinto-me segura
Essa é a minha confissão.
Rosangela Colares