sexta-feira, 18 de junho de 2010

Sinfonia Noturna



Os ventos têm abotoado meus olhos para sonhar
A estrela da tarde bebeu o amanhecer ainda fresco!
Em um sono sem voz, quero que me vejas dançar.
Na sombra inebriante, a emoção.

Imaginação! Este é o resultado de um segredo
É verdade que você renasceu um sonho cor violeta!
Viveu um discreto paraíso escondido
A força de um desejo desenfreado que se precipita

A felicidade abre o olho do destino
Um jovem viajante embriagado desta delícia,
O desejo insondável, onde o vinho combina.
Espumante com esperança, um cúmplice mistério.

Imbuídos do prazer óbvio de renovação!
Eterno! Que se torna a luz
Da minha tinta, céu claro, com lampejos.
Saltando de meus versos, balbuciando orações.

O veludo vermelho da minha criação
Versos ecoando querendo cumprir o seu desejo
Êxtase, um jato com um doce mergulho
Desperta memórias numa sinfonia noturna.

Rosangela Colares

segunda-feira, 14 de junho de 2010

A extensão da dor



Porque abraçamos situações para as quais sabemos perfeitamente o fim? Sabemos de antemão o que fazer, mas estamos tomados pela angústia de tomar uma decisão que fará outros sofrerem. E nós também. Vamos adiar. Partiremos amanhã, um passo que pode ser dado hoje. Nos enganamos conscientemente. Não deveríamos prolongar a decisão para que a dor também não seja prorrogada. É possível que por causa do processo, acreditamos que a dor será mais suave.

Se não for possível evitar, pelo menos vamos nos conscientizar de que o preço pode ser alto. Conviver com algo errado em nome do amor ou da amizade é uma questão de opção. E ter que viver com o erro sofreremos as conseqüências. Assim, reconhecendo que fez a escolha errada, o melhor seria retroceder. Mas o que vamos fazer? Devemos olhar para trás, medir e pesar até que ponto já perdemos o nosso tempo sem ter iniciativa para nos deslocar-mos mesmo tentando mudar a vida à nossa volta.

Sabemos que o abismo é a situação, mas nos recusamos a admiti-lo, muito embora estejamos conscientes de que não queremos cair. Caminhamos com pequenos passos, guiados pela esperança. Sempre devemos nos conscientizar que temos de pôr um ponto final. Este será o fim da história. Uma historia vivida e sonhada, cheia de esperança de que um dia tudo vai mudar, mas é só a esperança, ela nos da força para continuar, porque o MUDAR é difícil, ninguém muda ninguém.

Acreditamos que, ao longo do tempo nunca teremos outra oportunidade. Como se a vida fosse limitada. E nós somos inundados por uma sombra que nos separa de tudo.
Mas que remédio maravilhoso é o tempo! Um dia, acorda e tudo parece simples. Ao abrir nossos olhos. E nós vemos as coisas para qual estávamos cegos.
Devemos lembrar como é grandioso o mestre do universo! Com um único sopro Ele nos faz reviver juntos com sol todas as manhãs. Nós somos uma nova pessoa. Mais experiente. Experiências que têm servido como uma lição que tem nos enriquecido e, quem sabe, nos ajudaram a tornarmos melhor.


Rosangela Colares
Publicado no Recanto das Letras em 21/02/2010
Código do texto: T2100435

Menina Mulher..(Rosangela Colares)



Menina Mulher..(Rosangela Colares)

E não são teus olhos céus?
Que da segurança, esperança
Nesse teu sorriso presente
que contagia, inebria
tens uma essa doce alegria...
Quem encanta todos os dias

És conselheira amiga, fiel
És sábia mulher..tens um coração
Cheio de mansidão...
És Cintilantes estrelas a brilhar
Iluminando o caminho onde vem trilhar
Já passaste por ventos fortes...
És menina mulher corajosa

Tens uma fé admiravel
Caminha por sobre as águas
Os que unem a ti são vitóriosos
Contigo anda os querubins
Com sua orquestra orquestrando
É Uníssonos angélicos entoados
Para Glória do Pai...

Escreves estrofes acompanhadas dos gritos
Da sua bela alma transparente...
Que reluz o brilho constante
Onde fica explícito a linda pessoa que és
És mulher , és menina...

És menina/mulher/mãe que protege
os filhos no seu colo...
És mãe espiritual que abarga a ovelha
com esse cajado especial de um amor
constante sem fazer acepção...

Criança/menina/mulher
Eu consigo olhar nos olhos
É ve...
A sua grande FÉ...

Nina

agradeço a Deus pela sua vida querida amiga..minha conselheira.
bjimmm

http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=165037

NO SILÊNCIO A POESIA GERMINA


Esta manhã andei folheando os livros da vida
Suas folhas tinham-se tornado em matizes coloridas
Com palavras que escolhi, cartas do verão passado.

Olhei os poemas com letras desbotadas
Removi pecados passados em um texto amarelecido
Encontrei uma página em branco

Plantei os bulbos das palavras que me veio em mente
Plantei algumas consoantes
Caprichei um pouco mais em um quadro de vogais

Estou rodeada de fileiras de canteiros
Os acentos com um ar aromatizado
Semeado para fazer um pequeno recanto de lendas

Mais tarde preparou a praça de pontuação
Uma fila de vírgulas, um pouco de exclamações.
Uma saraivada de vários pontos e perguntas

Eu coloquei o efeito estufa na feira das Maiúsculas
Cobri parênteses com minúsculas
E cercado por caracteres, um tule especial.

Enxuguei a papelada com estilo
Armazenado em um frasco de vidro frágil inspiração
Fechou o livro na página e tornou-se febril

No jardim das palavras, a disposição chegou
Eu comecei plantando guardas not books
No silêncio, os poemas podem germinar.


Rosangela Colares