sábado, 25 de dezembro de 2010

Tenho vivido angústias





Tenho vivido angústias e inabalável crença em ver um mundo melhor.
A de(cisão) de amar faz uma "cisão" no nosso ego...porque amar significa "escolher sim" o caminho da tolerância, da compreensão, da generosidade e principalmente é uma escolha de viver num "mundo almado"...e nosso ego não aceita , ele quer o caminho do "poder" e da carne...onde imperam os desejos e não as necessidades. A carne tem desejos. A Alma tem necessidades.
No amor existem regulamentos. Cerceados. A ruptura é necessária, para que o amor seja de fato uma escolha. (Para termos que ir às raízes, as causas que produzem o amor submisso, pilar de sustentação da ideologia dominante) ocorra. Muitos [nós] precisam ser desatados. E depende de [nós].
Essa sociedade burguesa que aí está não é nada mais nada menos, do que o reflexo de nossos melhores sonhos e piores pesadelos. Algo está errado no mundo porque algo está errado em nós mesmos. Que nossas palavras e poesias sejam usadas para ajudar a sonhar e como ferramentas na construção de um mundo mais generoso e poético.

Rosangela Colares

UM 2011 DE REALIZAÇÕES PARA TODOS OS MEUS AMIGOS(AS).

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Sinfonia Noturna



Os ventos têm abotoado meus olhos para sonhar
A estrela da tarde bebeu o amanhecer ainda fresco!
Em um sono sem voz, quero que me vejas dançar.
Na sombra inebriante, a emoção.

Imaginação! Este é o resultado de um segredo
É verdade que você renasceu um sonho cor violeta!
Viveu um discreto paraíso escondido
A força de um desejo desenfreado que se precipita

A felicidade abre o olho do destino
Um jovem viajante embriagado desta delícia,
O desejo insondável, onde o vinho combina.
Espumante com esperança, um cúmplice mistério.

Imbuídos do prazer óbvio de renovação!
Eterno! Que se torna a luz
Da minha tinta, céu claro, com lampejos.
Saltando de meus versos, balbuciando orações.

O veludo vermelho da minha criação
Versos ecoando querendo cumprir o seu desejo
Êxtase, um jato com um doce mergulho
Desperta memórias numa sinfonia noturna.

Rosangela Colares

segunda-feira, 14 de junho de 2010

A extensão da dor



Porque abraçamos situações para as quais sabemos perfeitamente o fim? Sabemos de antemão o que fazer, mas estamos tomados pela angústia de tomar uma decisão que fará outros sofrerem. E nós também. Vamos adiar. Partiremos amanhã, um passo que pode ser dado hoje. Nos enganamos conscientemente. Não deveríamos prolongar a decisão para que a dor também não seja prorrogada. É possível que por causa do processo, acreditamos que a dor será mais suave.

Se não for possível evitar, pelo menos vamos nos conscientizar de que o preço pode ser alto. Conviver com algo errado em nome do amor ou da amizade é uma questão de opção. E ter que viver com o erro sofreremos as conseqüências. Assim, reconhecendo que fez a escolha errada, o melhor seria retroceder. Mas o que vamos fazer? Devemos olhar para trás, medir e pesar até que ponto já perdemos o nosso tempo sem ter iniciativa para nos deslocar-mos mesmo tentando mudar a vida à nossa volta.

Sabemos que o abismo é a situação, mas nos recusamos a admiti-lo, muito embora estejamos conscientes de que não queremos cair. Caminhamos com pequenos passos, guiados pela esperança. Sempre devemos nos conscientizar que temos de pôr um ponto final. Este será o fim da história. Uma historia vivida e sonhada, cheia de esperança de que um dia tudo vai mudar, mas é só a esperança, ela nos da força para continuar, porque o MUDAR é difícil, ninguém muda ninguém.

Acreditamos que, ao longo do tempo nunca teremos outra oportunidade. Como se a vida fosse limitada. E nós somos inundados por uma sombra que nos separa de tudo.
Mas que remédio maravilhoso é o tempo! Um dia, acorda e tudo parece simples. Ao abrir nossos olhos. E nós vemos as coisas para qual estávamos cegos.
Devemos lembrar como é grandioso o mestre do universo! Com um único sopro Ele nos faz reviver juntos com sol todas as manhãs. Nós somos uma nova pessoa. Mais experiente. Experiências que têm servido como uma lição que tem nos enriquecido e, quem sabe, nos ajudaram a tornarmos melhor.


Rosangela Colares
Publicado no Recanto das Letras em 21/02/2010
Código do texto: T2100435

Menina Mulher..(Rosangela Colares)



Menina Mulher..(Rosangela Colares)

E não são teus olhos céus?
Que da segurança, esperança
Nesse teu sorriso presente
que contagia, inebria
tens uma essa doce alegria...
Quem encanta todos os dias

És conselheira amiga, fiel
És sábia mulher..tens um coração
Cheio de mansidão...
És Cintilantes estrelas a brilhar
Iluminando o caminho onde vem trilhar
Já passaste por ventos fortes...
És menina mulher corajosa

Tens uma fé admiravel
Caminha por sobre as águas
Os que unem a ti são vitóriosos
Contigo anda os querubins
Com sua orquestra orquestrando
É Uníssonos angélicos entoados
Para Glória do Pai...

Escreves estrofes acompanhadas dos gritos
Da sua bela alma transparente...
Que reluz o brilho constante
Onde fica explícito a linda pessoa que és
És mulher , és menina...

És menina/mulher/mãe que protege
os filhos no seu colo...
És mãe espiritual que abarga a ovelha
com esse cajado especial de um amor
constante sem fazer acepção...

Criança/menina/mulher
Eu consigo olhar nos olhos
É ve...
A sua grande FÉ...

Nina

agradeço a Deus pela sua vida querida amiga..minha conselheira.
bjimmm

http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=165037

NO SILÊNCIO A POESIA GERMINA


Esta manhã andei folheando os livros da vida
Suas folhas tinham-se tornado em matizes coloridas
Com palavras que escolhi, cartas do verão passado.

Olhei os poemas com letras desbotadas
Removi pecados passados em um texto amarelecido
Encontrei uma página em branco

Plantei os bulbos das palavras que me veio em mente
Plantei algumas consoantes
Caprichei um pouco mais em um quadro de vogais

Estou rodeada de fileiras de canteiros
Os acentos com um ar aromatizado
Semeado para fazer um pequeno recanto de lendas

Mais tarde preparou a praça de pontuação
Uma fila de vírgulas, um pouco de exclamações.
Uma saraivada de vários pontos e perguntas

Eu coloquei o efeito estufa na feira das Maiúsculas
Cobri parênteses com minúsculas
E cercado por caracteres, um tule especial.

Enxuguei a papelada com estilo
Armazenado em um frasco de vidro frágil inspiração
Fechou o livro na página e tornou-se febril

No jardim das palavras, a disposição chegou
Eu comecei plantando guardas not books
No silêncio, os poemas podem germinar.


Rosangela Colares

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Precipício do AMOR







Palavras precipitadas empurram

O AMOR para o abismo.
E as que elogiam trazem
Refrigério para a alma.

Preciso ir
Esquecer minhas linhas.
Preciso crescer
Além das minhas fases


E aprender a vestir a
Aurora da vida tecida

(Rosangela Colares)

Veste-te de aurora e purpurina
A vida emerge para lá da alma
E o abismo do amor são nossas sinas
Está escrito a sangue em tuas linhas,
No refúgio da tua mão, a tua palma.

Queria ser o véu a te envolver
Com palavras nunca ditas em surdina
Fazer crescer em ti esse querer
De fugir do abismo
De viver
Nessas fases de mulher
Doce menina.

Agarra esse amor, não te detenhas
Aprende que não há força maior,
Derrubando com o olhar coisas tamanhas,
Revolvendo o coração traçando entranhas.
Mas grita,
Grita com afinco e com fervor
Que maior que as montanhas
É o precipício do amor.

Beija-flor

segunda-feira, 26 de abril de 2010

ESPERANÇA




Hoje eu vou falar sobre o orgulho. Particularmente aquele que impede relações normais entre as pessoas. O que cria barreiras e cega. O que está em quase todo mundo, só que umas pessoas conseguem lidar mais facilmente com ele. Algumas têm a coragem de lutar contra e vencê-lo, elas se liberam. E ficam leves depois. Outras pessoas morrem afogadas no seu eu e se perdem. É triste ver pessoas que não dobram o joelho. Não o físico, mas o da alma. Pessoas que se sentem grandes o bastante para não ter que baixar a cabeça. Que não pensam no que dizem e não admitem uma falha pessoal. Pessoas envenenadas do seu eu. Há tanta e tanta gente assim! Mas se essa atitude conduz a algum lugar, certamente não é ao céu( um estado, dimensão)melhor. E se não caminhamos para o céu(mundo de paz e verdadeira realização), que valor pode ter essa vida? O mundo precisa de muito cimento, muita cola, muita tinta nova! Precisa de reconstrução, de renovação. E nós podemos ser esses restauradores, começando dentro de casa, com humildade e amor. Eu sei que muitas coisas que digo parecem irreais. Não somos santos e diariamente temos que enfrentar um mundo que nem sempre nos oferece flores. Mas se ninguém mais plantar a bondade, a humildade, o amor real, a tolerância, dentro de algum tempo nada disso vai mais florescer na terra. Porém, se com insistência lançarmos nossa semente, podemos dizer que ainda há esperança. Podemos, todos, individualmente, ser pessoas melhores e isso não é utopia.

Rosangela Colares

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Sim, sou inalcançável por ti




Lindos Grãos da areia dourada
Me rastejo por ela, e escrevo
O que está oculto em minha alma
As palavras escorrem por meus dedos
Lentamente vem a onda e as levam

Tome este beijo sobre a fronte!
E nessa despedida, eu confesso:
Você não está errado,consideremos
Que seus dias têm sido um sonho;
Esperou que voasse contigo

Em uma noite, ou em um dia,
Em uma visão, ou somente em um sonho,
É portanto um desejo, ou um sonho?
Quem não sonha, quem não deseja?
Mesmo que seja o impossível



Sim, sou inalcançável por ti

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Vale dizer eu te amo






Todos nós precisamos de afeto. Às vezes temos alguma dificuldade para expressar nossos sentimentos, acreditamos que as pessoas saibam o que sentimos e que é o suficiente.
Há muitas pessoas que morrem de fome no mundo, como todos sabemos, mas quantos morrem de solidão? A estatística aumenta a cada dia.

Freqüentemente recebemos mensagens falando como devemos dizer às pessoas que nós a amamos, porque não estamos certos se esta talvez não seria a última vez que iremos vê-los. Mas isto é só para remover-mos o peso da consciência, porque sabemos que as pessoas que amamos podem desaparecer de um momento para o outro.

Devemos nos preocupar com às pessoas que amamos como se estivéssemos conquistando um belo sorriso ou um olhar especial. Ainda o mais importante, seu coração.

Um dos maiores prazeres da vida é ver a felicidade daqueles que nos são caros. Alguns anos atrás eu escrevi algo para uma amiga num momento em que ela não estava sentindo-se bem: "Não fique triste. Se você está triste, eu vou ficar triste. E eu não quero que me vejas triste ..."

Em contrapartida ganhei um grande sorriso. Neste período, aparentemente egoísta, acabei por dizer uma grande verdade. Sim, porque se não fizermos com que os outros sejam feliz para eles, devemos fazê-lo, pelo menos para nós. Quando estamos bem, aprendemos nem que seja um pouco um com o outro.

Podemos saber que alguém nos ama e que nos faz feliz, mas como explicar a grandeza da felicidade que sentimos se não tivermos o poder de transforma-lo em palavras, gestos? Quando assim o fazemos, nos sentimos amado duas vezes mais. Assim, é muito importante que as pessoas saibam como eles são importantes para nós, como nossos dias podem brilhar com um sorriso ou um gesto inesperado.

E luz é algo que, quando usamos, para além de nós, iluminaremos a cruz, e ela também nos ilumina.
O amor que damos às pessoas, recebemos em troca, se não delas mesmas, recebemos de Deus, acredite, é uma recompensa natural.

Sabendo que alguém acredita em nós, alguém que nos ama, apesar da distância, dos nossos defeitos, os nossos momentos de dor e dificuldades, a nossa alma torna-se cheia de paz e serenidade. É como uma lufada de ar fresco, quando precisamos de espaço para respirar. Ela renova o espírito. E com a renovação do espírito, o dia pode parecer diferente, o mundo pode ser diferente.

É a minha pequena lição de hoje. Não que eu dei, mas que aprendi.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Poema inacabado








Poema inacabado

Gostaria de compor uma sinfonia
Em arpejos sagrado no céu de sua vida,
Como um concurso de melodias de Mozart
E faze-los voar em um vento de loucura.

Gostaria de inventar poemas de amor
Para você recitar com voz de veludo
Á borda do teu coração sempre bordar a palavra AMOR
Ligado a mim noite e dia.

Eu lhe daria luz como o nascer do sol
O beijo da brisa o suspiro da primavera.
A beleza da canção do rouxinol
Que transcende a noite as estrelas de prata

Eu gostaria de levá-lo para lugares distantes
Banhado pelo o oceano de sonhos do infinito
..................................................................
..................................................................
..................................................................


Rosangela Colares

_________________________________________________________



Viver é duro? Claro!
Acumulamos erros, fatos distorcidos de nós mesmos. Saldo de duras batalhas, e não ceder, mesmo quando retornam diariamente.
Viver é vasto quando deveria ser simples.
Mas é preciso tanto, e sempre saber escolher, saber dizer não diante do sim que achamos que é inevitável.

È preciso ter sucesso, sem ser pedante, e não envelhecer o espírito.
Não fraquejar, o mundo gosta de vencedores.
Tem que correr contra o relógio, contra o desencanto, contra as contas da vida.
E tudo isso sem perder a poesia e o humor, porque nada mais chato que o triste permanente.
É...eu sei, tem dias em que a gente só quer algumas flores sem que precisemos nenhum esforço né?
Pois é...
Cheiro de flor e maresia no ar...

Rosangela Colares


Permanência a fatos.





Há pouco falava com alguém sobre razão x emoção.
Há uma música que diz assim:
“nada do que foi será, do jeito que a gente viu há um segundo”.

Nossa tendência é querer permanências a fatos, pessoas e estados.
Permanências que são impossíveis.
Mas nos recusamos a aceitar isso porque assim
a impressão de perda se torna quase insuportável.
Só que as mudanças acontecem à nossa revelia.
Porque, então, tanto questionamento?
Sabemos o que esperar: um movimento como o do mar, num vai-e-vem que traz o desconhecido para ser desbravado.
Depende de nós esperarmos pela onda ou passar
a vida tentando fugir dela.
Que as ondas do mar da vida venham com o sopro suave
do Espírito santo sobre nós, nos guiando em todos
os seguimentos da nossa vida.

Rosangela Colares