segunda-feira, 14 de junho de 2010

A extensão da dor



Porque abraçamos situações para as quais sabemos perfeitamente o fim? Sabemos de antemão o que fazer, mas estamos tomados pela angústia de tomar uma decisão que fará outros sofrerem. E nós também. Vamos adiar. Partiremos amanhã, um passo que pode ser dado hoje. Nos enganamos conscientemente. Não deveríamos prolongar a decisão para que a dor também não seja prorrogada. É possível que por causa do processo, acreditamos que a dor será mais suave.

Se não for possível evitar, pelo menos vamos nos conscientizar de que o preço pode ser alto. Conviver com algo errado em nome do amor ou da amizade é uma questão de opção. E ter que viver com o erro sofreremos as conseqüências. Assim, reconhecendo que fez a escolha errada, o melhor seria retroceder. Mas o que vamos fazer? Devemos olhar para trás, medir e pesar até que ponto já perdemos o nosso tempo sem ter iniciativa para nos deslocar-mos mesmo tentando mudar a vida à nossa volta.

Sabemos que o abismo é a situação, mas nos recusamos a admiti-lo, muito embora estejamos conscientes de que não queremos cair. Caminhamos com pequenos passos, guiados pela esperança. Sempre devemos nos conscientizar que temos de pôr um ponto final. Este será o fim da história. Uma historia vivida e sonhada, cheia de esperança de que um dia tudo vai mudar, mas é só a esperança, ela nos da força para continuar, porque o MUDAR é difícil, ninguém muda ninguém.

Acreditamos que, ao longo do tempo nunca teremos outra oportunidade. Como se a vida fosse limitada. E nós somos inundados por uma sombra que nos separa de tudo.
Mas que remédio maravilhoso é o tempo! Um dia, acorda e tudo parece simples. Ao abrir nossos olhos. E nós vemos as coisas para qual estávamos cegos.
Devemos lembrar como é grandioso o mestre do universo! Com um único sopro Ele nos faz reviver juntos com sol todas as manhãs. Nós somos uma nova pessoa. Mais experiente. Experiências que têm servido como uma lição que tem nos enriquecido e, quem sabe, nos ajudaram a tornarmos melhor.


Rosangela Colares
Publicado no Recanto das Letras em 21/02/2010
Código do texto: T2100435

Um comentário:

Cleide disse...

Muito bom ficar mais pertinho da sua companhia e das duas lindas inspirações.

Está maravilhoso esse seu espaço, Rosangela.

beijo com muito carinho, Cleide