sábado, 19 de fevereiro de 2011

Quando caem todos os sonhos



Quando caem todos os sonhos,
e só resta á recordação do que poderia ter sido e não foi,
não vale a pena procurar o que já não existe, que talvez nunca existiu.
O que vale mesmo, é não esquecer que há sempre, um amanhã por despontar.
Cada dia... uma nova descoberta e outros sonhos virão.
Essa lagrima que desliza,não a sinto, tem um sabor salgado,
que deixa marcas na boca.Imagino que é linfa que brotou;
e se transformará em cristais, ou uma pérola; que se perdeu ao cair
pelo meu rosto.
Seco a lágrima, espreito o sol que nasce trazendo um novo dia...
Viver cada dia, cada momento, cada gesto, como se fosse o último;
de muitos outros que virão.
Esqueço essa lágrima...
Como se de um sonho mau se tratasse...
Como o virar de uma página, de um livro que não li...
Ou de um filme que não vi e não sei o seu desfecho.
Não existe mais...
Só uma doce lembrança daquilo que não foi...
E que poderia ter sido.

(Vinicius de Moraes)

Nenhum comentário: